Objetos Decorativos

Azulejo decorativo

Para quem não sabe, um azulejo designa uma peça de cerâmica com pouca espessura, que geralmente apresenta uma forma quadrada. Tem duas faces, sendo que uma delas é frequentemente de acabamento vidrado, resultado da cozedura de um revestimento geralmente denominado como esmalte, que se torna impermeável e brilhante.

Frequentemente utilizado em conjunto com a arquitetura, o azulejo decorativo é amplamente utilizado como revestimento de superfícies interiores ou exteriores ou como um elemento decorativo isolado.

Com diferentes características entre si, o azulejo decorativo tornou-se um elemento de construção divulgado em diferentes países, tendo-se assumido, em Portugal, como um importante suporte para a expressão artística nacional, ao longo de mais de cinco séculos.

 

 

azulejos

 

Hoje em dia, o azulejo decorativo transcendeu para algo mais do que um simples elemento de pouco valor intrínseco. É verdade que este material convencional é usado pelo seu baixo custo, pelas suas fortes possibilidades de qualificar esteticamente um edifício de modo prático, descritivo e monumental.

No azulejo decorativo reflete-se, além da luz, todo um repertório do imaginário português e a sua preferência pela descrição realista, a sua atração pelo intercâmbio cultural. De forte sentido cenográfico descritivo e monumental, o azulejo é, hoje em dia, considerado como uma das produções mais originais da cultura portuguesa.

Tipos de azulejo decorativo


Existem variados tipos para um azulejo decorativo. A técnica da albarrada consiste num motivo decorativo independente (séc. XVII) que pode ser repetido e que consiste em ramos de flores em jarra, cesto, vaso ou taça com outros elementos figurativos a ladear, como pássaros, crianças ou golfinhos.

As alminhas são um painel de azulejos de dimensões reduzidas, ou como elemento autónomo, com uma decoração alegórica representando as almas do Purgatório.O uso do tipo de atalante no azulejo decorativo consiste numa figura escultórica masculina muito utilizada na Antiguidade Clássica, em substituição do fuste numa coluna. Foi muito utilizado como motivo decorativo em painéis de azulejo nos séculos XVII e XVIII.

O azulejo decorativo enxaquetado consiste num agrupamento de azulejos e formar uma malha geométrica em xadrez, utilizando elementos alternados de cores diferentes.

O azulejo decorativo de figura avulsa consiste no facto de que cada azulejo representa um elemento isolado. Em Portugal, divulgou-se mais o género de figura simples em azul cobalto. Os azulejos decorativos de padrão são , por outro lado, azulejos em grupos de 2×2 até 12×12 e que formam uma determinada composição e que, depois de repetidos várias vezes, formam um padrão.

Ainda existe o azulejo decorativo de tapete eu, em grande número com revestimento de paredes e que pela multiplicação de determinados modelos resulta num padrão polícromo. Pode ser rematado com frisos, barras ou cercaduras, apresentando-se no seu conjunto total semelhante a um tapete. Por outro lado, o balaústre consiste num colunelo (pequena coluna), usado como elemento arquitetónico em balaustradas e que se assume como motivo decorativo em azulejos do séc. XVIII.

O uso de um azulejo decorativo em barra promove o remate horizontal e vertical (painéis) compostos por duas ou mais filas de azulejos adjacentes com motivos variados. As figuras de convite representam uma pessoa trajada a rigor e posicionada em locais de entrada de uma habitação nobre em gesto de boas vindas.



1 comentário

  1. Sandra Vidal 11 de Novembro de 2015

Deixe o seu comentário

Nome : Email :