Decoração de Casas

Dicas para a disposição dos móveis no interior de uma divisão

Não precisa de ser um decorador profissional para compreender alguns princípios e regras básicas de decoração, que o podem ajudar a conseguir aquele ambiente de sonho com que sempre sonhou.

No artigo de hoje vamos mostrar-lhe algumas dicas de decoração para a disposição dos móveis no interior de uma divisão. Vamos mostrar-lhe soluções simples para conseguir o ambiente perfeito. Quer você decida reorganizar os móveis da sala de estar, atualizar a decoração do quarto, criar um quarto de hóspedes ou se simplesmente está a começar do zero na decoração do seu pequeno estúdio, estas dicas vão ajudá-lo a fazer as escolhas certas para si e para o espaço disponível em cada divisão da casa.

 

 

Posicionamento dos móveis


Muitas pessoas pensam que uma divisão vai parecer maior se todo o mobiliário estiver bem encostado às paredes. Se o seu objetivo for ter uma pista de dança em casa, então é capaz de ser uma boa ideia, mas se o que pretende é um espaço convidativo e acolhedor, então está a cometer um enorme erro. Na maioria dos casos, a divisão ficará mais acolhedora quando os móveis são colocados em ângulo ou com espaço livre ao seu redor. Quando os móveis ficam colados à parede, a componente social dessa divisão é colocada em segundo plano, uma vez que é uma disposição que pouco incentiva à conversação.

Avalie as dimensões da divisão, assim como os caminhos de passagem. Faça experiências com diversos posicionamentos diferentes para os móveis, até encontrar a disposição mais adequada e que funcione com o espaço disponível e fluxo de tráfego. Ou seja, evite impedir a passagem e acesso a outras divisões, janelas ou portas com uma disposição errada dos móveis.

 

 

Considere também a função do espaço. Tem acesso a armários e estantes com facilidade? A sua casa tem uma vista bonita e conseguir chegar à janela é uma prioridade para si? Estes são alguns pormenores que deverá sempre ter em conta. Contudo, isto não significa que obrigatoriamente terá que encostar os móveis à parede ou fazer uma disposição despropositada. Avalie sim, qual a melhor disposição para servir a função primária da divisão e depois encontre uma solução que não só seja prática, mas que também tenha em conta o aspeto estético da decoração.

Por exemplo, uma cadeira que se encontre demasiado afastada de uma fonte de luz, natural ou artificial, certamente que não irá desempenhar corretamente a sua função no recanto de leitura que gostaria de usar para ler os seus livros favoritos ou como zona de trabalho para os seus projetos de tempos-livres. Uma bonita ilha, que seja demasiado grande e longa no meio da sua cozinha e que esteja situada entre o fogão e o frigorífico, significa que vai precisar de a contornar diversas vezes cada vez que estiver a cozinhar. Alie sempre o lado prático à componente estética.

 

 

Para ajudar a visualizar as diversas opções de posicionamento dos móveis pode optar por usar algumas caixas de papelão que tenham as dimensões dos móveis que está a pensar comprar, antes de efetuar a compra propriamente dita. Vai ficar com uma ideia mais clara da forma como pode ou não organizar todo o mobiliário.



2 Comentários

  1. Edneia 19 de Janeiro de 2012
  2. Maria Almeida 19 de Janeiro de 2012

Deixe o seu comentário

Nome : Email :